A itinerância da vida manoki

André Lopes

 
Durante a vida das pessoas Manoki diversas fases se sucedem e, com elas, certos afazeres tornam-se mais ou menos corriqueiros, cotidianos ou mesmo imprescindíveis. No entanto, observa-se uma itinerância permanente na maior parte dessas atividades: dificilmente alguém se dedica a uma só atividade durante um longo período de tempo. "Enjoadas" da repetição de certos afazeres cotidianos, as pessoas deixam de se dedicar temporariamente às mais variadas tarefas. Apesar do abandono temporário de alguma atividade, a possibilidade de se dedicar novamente à mesma ocupação renunciada sempre permanece em aberto. Ao contrário de uma ideia de especialização ou estabilidade profissional, a itinerância parece trazer consigo um ideal de pessoa caracterizado por uma certa "erudição produtiva", um saber-fazer muitas coisas necessárias durante a vida, e que poderia ser traduzido pela expressão "taka'a" (aquele que sabe).
[ Voltar ]
    próximo ensaio >>