Caçando para espíritos, caçando com espíritos

André Lopes

 
Os Manoki habitam uma terra que é uma espécie de "ilha verde" cercada por fazendas de gado e monocultura agrícola por todos os lados. Essa devastação ambiental contribui diretamente para a escassez de muitos animais naquela região, o que obriga os homens a se deslocarem fora de sua terra por dezenas de quilômetros para caçar (kare'y). Os momentos que mobilizam uma grande quantidade de pessoas para a caçada acontecem nos "oferecimentos" para os "vizinhos", também chamados de espíritos ou yetá, cuja visualização é interditada às mulheres. Nessas situações, a caça é realizada de caminhão e se torna potencialmente mais fácil e abundante. Ao caçarem para uma posterior partilha ritual coletiva, os Manoki obtêm o auxílio dos "vizinhos" e, portanto, não caçam somente para os espíritos, mas também com os espíritos. A comunidade deve continuar mantendo as relações com esses seres num nível amigável, para que sejam sempre parceiros sociais e não se tornem agentes patogênicos em potencial, em outras palavras, predadores.
[ Voltar ]
  << ensaio anterior próximo ensaio >>