Um baile para matar as saudades

Erica Giesbrecht (direção)

 
Na memória de anciãos negros da cidade de Campinas residem práticas coletivas de música e dança, tema de minha pesquisa de pós-doutorado "Memórias Vivas de uma Comunidade Negra". Entre os anos 1940 e 1960, grandes bailes negros, com orquestras, traje a rigor, e decoração requintada eram organizados nos mais refinados clubes "brancos", entre três e quatro vezes ao ano. Esses eventos foram essenciais na formação de uma "comunidade negra" sustentada e bem articulada até os dias atuais.
Com a intenção de compreender a importância desse universo de sons, luzes, movimentos e glamour na vida dessas pessoas, surgiu a ideia de uma recriação. Assim, o "Baile para Matar as Saudades", foi realizado em abril de 2014, inserindo meus interlocutores numa experiência de música e dança, e trazendo à tona suas memórias mais diversas.
As imagens reunidas neste ensaio retratam memórias profundamente corporizadas, mobilizadas através da reexperimentação de uma experiência.
[ Voltar ]
  << ensaio anterior